Prefeito Marcelo Crivella participa de lançamento de cooperativa de costureiras no Porto Maravilha

Social, Cultural | 29/09/2017

  • Titulo da Imagem

    Cooperativadas entregam camiseta de presente para o prefeito Marcelo Crivela

  • Titulo da Imagem

    Crivela observa o trabalho das costureiras

  • Titulo da Imagem

    Presidente da Cdurp, Antonio Barbosa, conhece a oficina de trabalho das costureiras e costureiros do Porto Maravilha

  • Titulo da Imagem

    Prefeito posa para foto com o grupo e famílias

Imagem

Parceria com empresas da área garantirá assinatura de contratos de grande porte para profissionais envolvidos

 

Ateliês de costura da Região Portuária se uniram na Cooperativa Maravilha para fechar contratos com grandes empresas da cidade que atuam na área. Parceria entre a Prefeitura do Rio, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado do Rio de Janeiro (Sescoop-RJ) filiado à Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), e o Centro Brasileiro de Estudos em Design de Vestuário (CBEDV) promoveu a associação de 16 costureiras e costureiros locais, que agora poderão receber encomendas de maior porte, além de participar de licitações. O prefeito Marcelo Crivella visita hoje pela manhã o galpão na Avenida Professor Pereira Reis, na Saúde, sede do grupo que começa com investimentos municipais e costura de parcerias estratégicas.

 

O trabalho começa no Santo Cristo, bairro que ainda não recebeu investimentos significativos da operação urbana Porto Maravilha.  O modelo de cooperativa permite que profissionais liberais autônomos ou em situação de desemprego se tornem donos do próprio negócio. A prefeitura mobilizou parceiros da área para facilitar a formalização de contratos que beneficiarão os moradores gerando trabalho, renda e exemplo para quem vive na Região Portuária. 

 

Mulheres em sua maioria, as cooperativadas têm origem em cursos profissionalizantes oferecidos na área e na união de forças de costureiras e costureiros que atuavam individualmente nos bairros da Saúde, da Gamboa e do Santo Cristo. A Cdurp investiu na reforma de duas salas do galpão e fechou a parceria com as instituições locais com a finalidade de apoiar a formalização do grupo garantindo encomendas.  O maquinário foi cedido por uma das organizações colaboradoras.

 

As primeiras tratativas para a organização da cooperativa se deram no mês de março, quando a Cdurp identificou as atividades econômicas na área do Porto Maravilha e fez o cruzamento com as demandas das empresas âncoras. Com o apoio do Sesscoop-RJ, apresentou aos ateliês e profissionais a proposta de associação com suporte técnico, contábil e jurídico. Desde então, o núcleo das associadas começou a se reunir para desenvolver o projeto. Após processo de treinamento e reuniões setoriais, o grupo se preparou para a primeira grande encomenda.  

 

Contratada pela prefeitura para implantar e operar o sistema do VLT, a Concessionária do VLT Carioca assina hoje o contrato para a sua primeira encomenda de 510 uniformes operacionais de Agentes de Fiscalização, Condutores e Manutenção no valor de R$ 19.744,50. Para apoiar as cooperativadas a concessionária irá adiantar o pagamento de 100% do valor com o objetivo de impulsionar o momento inicial do projeto. Em parceria com a Cdurp, o Sescoop-RJ dará todo apoio técnico à constituição formal da cooperativa, o que permitirá que o grupo não só feche contratos com a iniciativa privada, como também possa concorrer em processos licitatórios públicos. O primeiro lote de uniformes será entregue durante a cerimônia. O CBEDV, que inaugurou sua sede no início deste mês na Região Portuária, apoia a iniciativa com consultoria em design de vestuário.

 

Perfil de  participantes

Janice Maria da Silva, 49 anos, moradora da Gamboa. Trabalha como costureira desde 1989. Há quase 29 anos.  Inicialmente era funcionária de empresas do setor, mas há 10 anos tomou a decisão de trabalhar em casa, motivada por uma questão familiar. Hoje, com o apoio do filho Erivan e do antigo empregador – que aceitou  terceirizá-la e mantê-la como prestadora de serviços, é uma especialista em facção. “Portas abertas. A gente que lida com esse tipo de função corre muito atrás do cliente. Essa iniciativa abre as portas do cliente”.

 

Erivan José dos Santos Júnior, 31 anos, morador da Gamboa. Ex-vigilante. Começou como costureiro há 10 anos, ajudando a mãe (Janice) e prosseguiu na profissão, especializando-se com o tempo. Tem experiência com corte e silk screen e habilidade com equipamentos e parte elétrica. “Vejo o projeto como oportunidade para o futuro.”

 

Rosane Ferreira Guzzo, 47 anos, moradora da Saúde. Nascida na região e moradora da Saúde (na Pró-Matre, frisa), decidiu participar da cooperativa a partir da experiência prévia de dar aulas de costura para mães e mulheres de projeto social Som+Eu, do Morro da Providência. Já trabalhou com costura em casa, em loja e, atualmente, mantém ateliê na Rua Camerino.“Penso que a gente pode conseguir se beneficiar da nova economia que chegou à região após a revitalização. As grandes empresas ganham, e os pequenos participam desse crescimento.”

 

Marlene Rocha da Silva, 56 anos, moradora do Santo Cristo. Há 30 anos atua no ramo, acumulando experiência em costura e consertos. Trabalhou ainda em empresas e produção de cabelos. Tem larga experiência no processo industrial de costura. Especializada em costura reta. Bordadeira. “Acredito que trabalhar nesta cooperativa pode melhorar a minha renda e me ajudar a conquistar estabilidade financeira.”

 

Eliana de Fátima Rosa da Costa, 53 anos, moradora da Saúde. Mineira que adotou a região portuária há 25 anos, trabalhava em hospital como enfermeira, mas sempre cultivou o sonho de trabalhar com costura. Trabalhou como oficineira ensinando trabalhos manuais em projeto de parceria entre a Escola Municipal e Unesco. Especializou-se na área têxtil e cursou Faculdade de Modelagem pela necessidade de aprofundar o conhecimento deste universo. A costura profissional veio a partir daí. Tem ateliê de costura na Saúde.“O bairro aqui era muito carente de oportunidades, então achei que, para as mulheres, a cooperativa supre uma carência e abre olhar específico para esse setor, porque há muitas costureiras na área. Estava sempre buscando algo e não encontrava. Se der certo, vai ser de grande valor.”

 

Raquel da Gama Spinelli, 32 anos, moradora do Santo Cristo. Administra ONG na área há seis anos que mantém ateliê de costura voltado à confecção de enxoval de bebê e atendimento de meninas grávidas. O Projeto social Providenciando a Favor da Vida, do Morro da Providência, ensina costura e artesanato para os participantes. “Muitas meninas aprenderam a costurar lá no projeto para desenvolver renda com esse trabalho. Ainda não tinham abraçado essa etapa de conquistar trabalhos de grande porte. Essa é uma oportunidade para que elas atinjam essas possibilidades.”

 

Assessoria de Imprensa

Subsecretaria de Comunicação Governamental


- Coordenadoria de Imprensa
Daniel Pereira | Paulo Canarim
Tel: 2976 2494 | 2976 1375

 

- Redação
Bruno Marcondes | Luciano Terra | Mariana Magro | Fernanda Moreno  

Tel: 2976 3042 | 2976 2065 | 2976 2984 | 2976 3905| 2976 1998

 

- Fotografia

Edvaldo Reis | Ricardo Cassiano 

Tel: 2976 1369


Site: http://prefeitura.rio/home

Facebook: https://www.facebook.com/PrefeituradoRio

 

Cdurp - Porto Maravilha

 

imprensa@cdurp.com.br

Luciene Braga (coordenação) - (21) 2153-1404 e 98909-1623

Bruno Bartholini - (21) 2153-1406 e(21) 98497-6078

Clarice Tenório Barretto - (21) 2153-1405 e (21) 98497-6079

 

Site: http://www.PortoMaravilha.com.br

Facebook: http://www.facebook.com/portomaravilha